Futebol é isso! Há que se saber ganhar e perder!


copa 2014Todo mundo viu que a Copa das Copas teve a classe média branca como maioria na torcida dos estádios, portanto, não representa o povo brasileiro. Aqueles que queimaram bandeira, vaiaram a presidenta, criticaram, falaram que não ia ter copa, garantiram os ingressos para assistirem aos jogos para assistir o que para eles era “um grande evento” e não futebol ou um dos esportes mais popular do Brasil.

Para os torcedores, é dolorido perder, mas faz parte do futebol. E esta é a grande magia do esporte e da competição: quem perde e quem ganha e quem será o melhor futebol do mundo.

Vi  um post no face que me chamou a atenção pela coerência e acredito que seja isso mesmo:

Pablo Villaça diz

1) Isso é futebol. Nada mais!

2) Já estamos entre as 4 melhores seleções do mundo. Outras 28 foram EMBORA.

3) Estamos sem dois jogadores importantíssimos.

4) A Alemanha é um grande time, campeã mundial.

5) Continuamos a ser o país que hospedou a Copa das Copas.

6) Somos “brasileiros com muito orgulho e muito amor” só na vitória?

7) De novo: isso é só futebol.

Queimar bandeira (como já fizeram na Vila Madalena em São Paulo), ofender jogadores e renegar a Copa é comportamento de criança mimada!

Concordo plenamente. Esta ideia de  que tem que entrar para ganhar de qualquer jeito é uma ideia anti-esportiva, como vários comportamentos! A escolha da Copa foi em 2006 e, de lá para cá, houve um cata-cata de bons jogadores que estavam espalhados pelos melhores times do mundo. O Brasil ainda produz bons jogadores e os exporta, ainda não há a cultura de cultivarmos e financiarmos nossos esportistas e valorizarmos o que é nosso. Sempre se valoriza o que vem de fora e o que se faz lá fora.

Claro ficou que a torcida nos estádios não nos representava quando tento ainda humilhar os jogadores numa atitude completamente anti-esportiva.

Estamos entre os quatro melhores do mundo. A lição que se deve tirar disso é que se pode repensar como trabalhar o esporte como parte da vida escolar, vida cidadã e ter a atividade esportiva como parte da vida acadêmica/escolar numa ação formadora.

O que é preciso mudar também é a ideia individualista de que o líder pode resolver tudo, mesmo num trabalho coletivo. É preciso repensar a educação social que, da forma individualista que está sendo exercida, só cria a ideia de que um líder toca tudo e sem ele, tudo acaba. Esta sensação e este cobrança ficou clara quando houve a perda de Neymar e Thiago Silva.

A sociedade brasileira precisa repensar seus valores enquanto sociedade e começar a se pensar como grupo, tudo o que um faz, afeta ao outro direta ou indiretamente, todos somos responsáveis por todos.

Ser brasileiro é ter orgulho de todas as conquistas nestes últimos 12 anos, que levou o Brasil de “República dos Bananas” a “país desenvolvido” com superação de muitos obstáculos sociais, educacionais, políticos, culturais e esportivos. Perder uma Copa não nos torna menos brasileiros e nem piores que ninguém. A não ser para quem só pensa no esporte como uma mera fonte de lucros, grande evento…

Para quem pensa o futebol como um esporte e que perder e ganhar faz parte do jogo! Chegamos nas semifinais, com todas as dificuldades e incoerências e estamos entre os quatro melhores do mundo!

Valeu e está valendo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s